Será uma moda passageira ou veio para ficar? Restaurante londrino lança comida impressa em 3D | Blogs Pini
22/Agosto/2016

Será uma moda passageira ou veio para ficar? Restaurante londrino lança comida impressa em 3D

Affonso Orciuoli | Victor Sardenberg

Primeiro restaurante 3D-PRINTING, o Food-Ink é um conceito de restaurante que abriu suas portas recentemente em Londres. E não se trata só de imprimir alimentos. Todos os utensílios e os móveis são produzidos através de impressão 3D, com uma proposta de ambiente futurista e envolvente, combinando gastronomia e arte, utilizando tecnologias de fabricação digital.

O projeto Food-Ink reúne arquitetos, artistas, chefs, designers e engenheiros que desenvolveram juntos um particular restaurante, que reivindica o título de primeiro restaurante a utilizar impressoras 3D. Produzidos pela empresa holandesa byFlow pode criar pratos de homus, mousse de chocolate, guacamole, queijo de cabra ou massa de pizza - essencialmente trabalham com qualquer forma de alimentos pastoso - podendo assumir diferentes geometrias. A pasta é alimentada através do extrusor para criar esculturas culinárias. A missão de Food-Ink é explorar a intersecção entre a gastronomia e tecnologia avançada. De acordo com a filosofia da equipe de "colocar as tecnologias mais inovadoras, como impressão 3D e realidade aumentada, a fim de elaborar uma experiência comestível e interativa das mais requintadas."

O arquiteto Arthur Mamou-Mani é designer e assessor do projeto e concebeu o mobiliário para o restaurante, que consiste em uma coleção de bancos e suportes de mesa impressos em 3D. Este programa se chama "Silkworm", um plugin do Grasshopper3D (que por sua vez, é um plug-in do programa 3D Rhinoceros que coescreveu com Adam Holloway, Karl Kjelstrup-Johnson e Andrei Jipa. Além de traduzir geometrias em impressão 3D, Silkworm permite manipular as geometrias internas e estruturas de seus projetos para que se faça no tempo desejado. Para garantir a estabilidade e resistência dos bancos impressos em 3D, Mamou-Mani incorporou uma estrutura de treliça em suas paredes, permitindo uma estrutura robusta, oca, e materialmente eficiente que possa ser resistente ao peso de uma pessoa. Na concepção de toda a coleção, que consiste em uma série de soluções diferentes, Mamou-Mani e sua equipe geraram uma matriz de potenciais projetos de bancos, que teve em conta a velocidade desejada da impressão, ângulos que evitem material de suporte e uma série de outros fatores. O resultado é uma "família generativa" de design que ultrapassaram essas restrições. Para ter em conta as limitações de altura da impressora 3D, algumas das peças foram projetadas com sistema macho/fêmea para possíveis extensões.

Veja mais informações sobre o projeto na página do Arthur Mani.

Food-Ink tem planejado novos restaurantes em cidades como Berlin, Dubai, Seoul, Roma, Tel Aviv, Barcelona, Paris, Amsterdam, Toronto, NYC, Taipei, Las Vegas, São Paolo, Tokyo, Austin, Singapore, Los Angeles, Cape Town, Sydney e Reykjavik.

Assista os vídeos:

Buscar:
Arquivos: